14 de jun de 2010

O Marido perfeito realmente mora ao lado?

Por: Juliane Moura


                   Felipe Pena, autor de O marido perfeito mora ao lado

A princípio, apenas mais um romance feito por um jornalista 'metido a escritor', como o próprio autor do livro faz questão de se auto intitular. Não é o primeiro romance de Felipe Pena e, ao que tudo indica, não será o último. O autor que prima tanto pela escrita simples, parece ter alcançado seu objetivo no livro “O marido perfeito mora ao lado”, por mais que ele mesmo acredite que escrever fácil seja difícil. O título um tanto convidativo faz com que a leitura seja inevitável e as surpresas aconteçam repentinamente.

A trama envolvendo professores e alunos do curso de psicologia, no estado fluminense, a princípio, parece apenas mais uma. Mas o ritmo da história, a linguagem e seus personagens, fazem com que este romance fuja de qualquer comparação com outros enredos amenos e previsíveis. O livro faz com que a simples leitura seja transformada em um vício que necessita ser alimentado diariamente, com páginas e mais páginas sendo devoradas em instantes.

E como não imaginar as cenas em que o diretor da faculdade se envolve com a aluna. Um dos traços marcantes de Felipe Pena, nesta obra, é a sutileza destes momentos, que, porém, não deixam de ser atraentes e sedutores. O autor faz questão de deixar claro o quanto uma história pode ser surpreendente até o último capítulo, mesmo quando se pensa não haver outros caminhos a seguir. Olga e Nicole, que o digam, são as principais surpresas desta obra que traz o sequestro de um dos alunos da turma de futuros psicólogos que tratam casais em sua clínica experimental na faculdade.

Como não compartilhar as dores de Olga ao ver seu relacionamento com Carlinho praticamente terminado, e a tristeza de Nicole ao ver sua paixão momentânea, com Pastoriza, terminar sem ao menos ter começado, de fato. Talvez os caminhos seguidos por alguns dos personagens não tenham agradado a todos. Mas a história com fortes traços é envolvente, apaixonante e, acima de tudo, sedutora - uma das características que Pena procura dar a esse romance.

Felipe Pena conseguiu alcançar sua meta neste romance. Trouxe a leveza, a linguagem de fácil acesso, dinamismo, e muita intensidade a cada página. E no final de cada capítulo o suspense – envolvendo de forma quase instantânea quem está apenas ‘assistindo’ a historia – é proposital e arrebatador.

O livro é traçado com detalhes pertinentes e com muita simplicidade, o que abre espaço para que leitores de diversos níveis possam degustar esta delícia literária. “O marido perfeito mora ao lado” faz com que qualquer pessoa que esteja em busca de novas histórias com temperos refinados de linguagem e ação se encontre ali, em cada linha percorrida pelos olhos e vivida pela imaginação.